Amarrada na árvore e comida por três

Amarrada na árvore e comida por três

Olá, meu nome é Sabrina. Pra quem não me conhece, sou morena, pele clarinha, 1,65m de altura, tenho seios médios – não são pequenos e nem excessivamente grandes, faço academia 4 vezes por semana. Minha mãe é nutricionista então não preciso dizer que sempre tive um corpo bem cuidado, especialmente minha bunda (parte que eu mais amo no meu corpo). Devido ao grande número de e-mails que recebi, decidi escrever mais um conto sobre o que aconteceu comigo.

Essa história que vou contar é de quando eu tinha 15 anos.

Eu era muito amiga dos garotos que moravam na minha rua. Até era a única garota do grupo de 5 garotos (pelo menos os mais amigos). Todos tinham entre 13 anos (o mais novo, Lucas) e 17 anos (o mais velho, Rafael). Sempre ficávamos andando pela rua, ou na pracinha lá perto, conversando. Ocasionalmente eu jogava bola com eles, embora eu seja uma negação no futebol. Certo dia, decidimos relembrar nossa “infância” (ou seja, nossos 10 anos) e começamos a brincar de polícia e ladrão. Como antigamente era meninos versus meninas, eu acabei sendo a única a ser policial e correr atrás dos 3 garotos que estavam brincando comigo ( Lucas, Rafael e Davi que tinha 15 anos).

Eu estava vestida com um short de jeans curto, que deixava minhas coxas bem á mostra, uma calcinha branca, e uma camiseta apertadinha que deixava meu umbigo á mostra. Estava sem sutiã pois estava muito calor no dia e não estava afim de usar nada.

O jogo começou e cada um fugiu em uma direção. Fui atrás do Lucas primeiro – ele foi o mais fácil de pegar. Escondi-me perto de onde ficava a área de prisão e esperei o Davi vir resgatar o Lucas. Quando o Davi se aproximou, fui rápida e peguei-o também. Só faltava o Rafael. Fiquei novamente escondida atrás de uma árvore, mas nada do Rafa aparecer. De repente sinto alguém me agarrar por trás e me dar uma encochada. Era o Rafael. Ele prendeu meus braços atrás das minhas costas e falou “Há! O ladrão pegou a policial! Vai fazer o que agora, hein?” e riu. Notei que ele estava meio que roçando o pau dele na minha bundinha, mas achei que ele só estava tentando me segurar. Rapidamente, me inclinei pra frente e dei uma bundada nele. Ele me soltou, então virei e peguei-o no braço e dei voz de prisão. O jogo acabou e virou minha vez de ser a ladra.

Assim que foi dada a largada, rapidamente corri pro parque onde tinha um pequeno bosque. Escondi-me entre ás árvores; agora era mais um jogo de pega-pega do que polícia e ladrão já que eu estava sozinha e não tinha que resgatar ninguém. Mas não demorou muito para os três me descobrirem e em questão de minutos eles já tinham me cercado. Em um ataque rápido, Davi me derrubou no chão, o Rafa ficou em cima de mim, sentado nas minhas pernas e o Lucas estava segurando meus braços no chão. Fiquei como um X, com as pernas e braços abertos, prensada no chão. Todos nós estávamos rindo, mas eu era provavelmente a única que estava rindo pela cena ser engraçada. Os outros estavam rindo pois tinham um plano em mente.

Eles me viraram de bruços e amarraram minhas mãos nas minhas costas. Estranhei, pois não tinha visto ninguém com corda antes. Puseram-me de pé e de costas contra uma árvore, onde me amarraram de novo. Falei “A prisão não fica aqui, ainda mais, quem vai me salvar?”. O Rafa apenas respondeu sério “Quem disse que você vai ser salva?”. Comecei a ficar com medo e tentei me soltar, mas as cordas estavam bem amarradas. Pedi para que me soltassem, mas eles se recusaram. “Você queria brincar de polícia e ladrão, Sá…isso é o que fazem com ladras gostosinhas que nem você falou Davi. Ele se aproximou de mim e começou a massagear meus seios. Pedi para pararem, mas Davi notou que eu estava sem sutiã. “Então esses peitos lindos ficam assim no ar sem ajuda nenhuma?” perguntou Davi.

Logo em seguida, o Rafa e o Lú quiseram apalpar meus seios também. O Lú foi o primeiro a colocar a mão por debaixo da minha camiseta para sentir meus seios com as mãos suadas dele. Falei pra ele parar, senão iria contar tudo pros seus pais e ele iria ficar de castigo a vida toda. O medo dos pais saberem acertou o pequeno Lú em cheio e vi que ele parecia com medo. Ele tentou convencer aos outros dois que não deveríam fazer isso. O Rafa falou “Se você não quiser, a gente não come ela Lú…mas a gente vai ter que comer você de novo. Você se lembra como doeu da última vez, né pivete?”. Fiquei de cara; pelo que fiquei sabendo mais, todos os outros garotos fodiam o cuzinho do Lucas e pediam pra fazer boquete pra eles.

Como o Lucas prensava o bem-estar do cuzinho dele, ele acabou decidindo que era minha vez de ser fodida um pouco. Lucas então levantou a barra da minha camiseta e prendeu-a por cima da minha cabeça, me deixando sem poder ver nada. Senti que alguém estava massageando meu seio direito enquanto outro estava lambendo o esquerdo. Senti uma mão passear pela minha barriguinha e uma boca seguindo, beijando toda minha barriga até a barra da minha calça. A pessoa que estava massageando meu peito tirou a mão e começou a apertar minha bunda. Eu estava implorando para que parassem, mas minha respiração estava ficando ofegante. Na verdade, eu estava gostando disso. Mas se as coisas piorassem, eu podia acabar ficando com má reputação no bairro.

Senti que estavam desabotoando meu short, então eu rapidamente abri as pernas o máximo que pude para que eles não conseguissem tirar meus shorts, mas mesmo assim tiveram uma brecha o suficiente pra alguém colocar a mão por dentro da minha calcinha e esfregar na minha bucetinha. Escutei o Rafael dizer “Ela só tava fazendo pose pessoal, ela já tá toda molhadinha!”. Tentei fechar novamente minhas pernas pra que o Rafa não pudesse enfiar o dedo dentro de mim, mas alguém aproveitou e abaixou meu short até meus pés, me deixando apenas com a calcinha à mostra. Enquanto o Rafa massageava minha bucetinha por dentro da calcinha, senti outra mão esfregando o lado de fora. Não demorou muito para que a mão se tornasse um pau.

O Rafa tirou a mão da minha calcinha e começou também a esfregar na minha calcinha com seu pau. Lá estava eu, amarrada na árvore, com a camiseta por cima da minha cabeça, com os peitos a mostra, sendo chupada nos peitos, com uma mão na minha bunda e dois paus esfregando na minha calcinha. Estava tão bom que eu nem pedi mais para pararem. Eles sentindo que eu não estava resistindo, abaixaram minha calcinha. Provavelmente o Davi estava esfregando seu pau em mim que tirou minha calcinha e começou a lamber minha bucetinha, dando atenção especial ao meu clitóris. Sentia a língua dele me lambendo enquanto o pau do Rafa continuava lá, ocasionalmente sendo lambida pelo Davi também. O Lucas tirou a camiseta do meu rosto e eu finalmente pude ver ele batendo uma punheta.

Todos já estavam nus e de pau duro. Lucas tinha um pau de 12 centímetros, Davi e Rafael tinham um pau de uns 15 cm cada, mas o de Davi parecia mais grosso – quase o dobro da grossura do pau do Rafa. Vi que o Davi não tinha nada contra me chupar e chupar também o pau do Rafa, que ficava pincelando minha bucetinha molhada. Depois de uns 5 minutos, o Rafa pediu pro Davi sair e colocou seu pau na minha bucetinha. Começou enfiando devagarzinho a cabeça dele, centímetro por centímetro. “Tá gostando de ser a ladra, Sabrina?” perguntou o Davi. Eu já estava rolando os olhos pra trás e consegui apenas responder um “Uhum” gemido. Ele então olhou pro Lucas e pediu para que ficasse do meu lado, ajoelhado. Davi então chegou perto de mim e começou a chupar meus seios e colocar o pau dele dentro da boca do pequeno Lucas. O Lu parecia saber chupar bem, pois ele estava se divertindo com o pau do Davi. Depois de me bombar por uns 20 minutos me segurando pela cintura, o Rafa pediu pra trocar de lugar com o Davi.

Os dois trocaram, e o pequeno Lucas começou a chupar com mais ânimo o pau do Rafael. “Esse pau com gosto de buceta é muito bom” falou Lucas. Davi não perdeu tempo e já enfiou o pau todo dele dentro de mim, me fazendo soltar um urro de tesão. Ele começou a bombar muito rápido, e com o Rafael chupando meus seios não demorou muito pra eu gozar. Soltei outro grito de tesão assim que eu gozei, mas isso não quis dizer que eles terminaram. Aproveitando meu momento de fraqueza, Rafa e Davi me desamarraram da árvore e me colocaram de quatro no chão. Rafael ficou debaixo de mim, Davi atrás e o Lucas na frente. Sabia que não adiantaria espernear, mas por outro lado, não queria. Rafael enfiou seu pau na minha bucetinha e o Lucas enfiou o dele na minha boca. Rafael começou a bombar devagarzinho e de repente Davi colocou o pau dele na minha bucetinha também. Os dois começaram a bombar alternadamente, me deixando mais do que louca. O Rafa e o Davi também estavam gemendo feito loucos. Lucas queria entrar na brincadeira (ou seja, entrar na minha bucetinha) também. Davi o mandou se foder e continuou me comendo. Lucas, com raiva, levantou e foi por trás do Davi.

Quando olho pra trás, vejo Davi me comendo e o Lucas atrás dele, comendo o Davi! E o Davi estava amando tudo. Ele bombava mais ainda, fazendo seu corpo ir pra frente e pra trás, enfiando em mim e sendo enfiado pelo Lu. Não demorou muito para que ele gozasse dentro de mim. Davi soltou um urro de prazer enquanto gozava, parecia que tinha morrido e chegado ao paraíso. Enquanto isso, o Lu continuava atrás dele, bombando feito louco. Assim que o Davi tirou o pau de mim, Lucas saiu de trás dele e veio enfiar em mim. Ele só teve tempo de dar mais algumas bombadas e acabou gozando dentro da minha bucetinha também, me lambuzando inteira com sua porra. Assim que o pequeno Lucas saiu de trás de mim, eu pude ficar sentada no pau do Rafael. Fiquei pulando no pau dele até que eu soltei um gemido muito alto e gozei.

Quase que na mesma hora, o Rafael ficou de pé com um pulo e, aproveitando minha boca aberta enquanto gemia, gozou na minha boca me enchendo de porra e quase fazendo eu engasgar. Para não mostrar desfeita, engoli tudo. Deitei no chão e fiquei deitada lá durante um tempo. Estava tão exausta que só queria dormir ali mesmo. Os garotos me vestiram e foram quase que me carregando até a pracinha, onde ficamos sentados conversando em voz baixa pra ninguém saber o que houve. Eles já estavam planejando outras “brincadeiras” como umas de médico.

Indique esse Post:
  • Print
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • email
  • Technorati
  • Twitter

One Response até “Amarrada na árvore e comida por três”

  1. eduardo disse:

    Que que isso, show de mais…


Comente!

Copyright © 2014 A Revista Blow Up - Todos os direitos reservados

PHVsPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19hYm91dF9idXR0b248L3N0cm9uZz4gLSBCYWl4ZSBhcXVpIG8gc2V1IHdhbGxwYXBlcjwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2Fib3V0X2hlYWRlcjwvc3Ryb25nPiAtIE5vdmlkYWRlITwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2Fib3V0X3Bob3RvPC9zdHJvbmc+IC0gaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3VwbG9hZHMvMjAxMC8wMy9leGNsdXNpdm8uanBnPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fYWJvdXRfdGV4dDwvc3Ryb25nPiAtIENvbmZpcmEgb3Mgbm9zc29zIHdhbGxwYXBlcnMgZXhjbHVzaXZvcyEgPGJyIC8+DQpWb2PDqiBuw6NvIHZhaSBkZXNncnVkYXIgb3Mgb2xob3MgZG8gc2V1IG1vbml0b3IhPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fYWRfMzAwX2Fkc2Vuc2U8L3N0cm9uZz4gLSA8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19hZF8zMDBfaW1hZ2U8L3N0cm9uZz4gLSBodHRwOi8vd3d3Lndvb3RoZW1lcy5jb20vYWRzLzMwMHgyNTBhLmpwZzwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2FkXzMwMF91cmw8L3N0cm9uZz4gLSBodHRwOi8vd3d3Lndvb3RoZW1lcy5jb208L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19hZF9jb250ZW50PC9zdHJvbmc+IC0gZmFsc2U8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19hZF9jb250ZW50X2Fkc2Vuc2U8L3N0cm9uZz4gLSA8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19hZF9jb250ZW50X2ltYWdlPC9zdHJvbmc+IC0gaHR0cDovL3d3dy53b290aGVtZXMuY29tL2Fkcy83Mjh4OTBhLmpwZzwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2FkX2NvbnRlbnRfdXJsPC9zdHJvbmc+IC0gaHR0cDovL3d3dy53b290aGVtZXMuY29tPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fYWRfaGVhZGVyPC9zdHJvbmc+IC0gZmFsc2U8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19hZF9oZWFkZXJfY29kZTwvc3Ryb25nPiAtIDwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2FkX2hlYWRlcl9pbWFnZTwvc3Ryb25nPiAtIGh0dHA6Ly93d3cud29vdGhlbWVzLmNvbS9hZHMvNDY4eDYwYS5qcGc8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19hZF9oZWFkZXJfdXJsPC9zdHJvbmc+IC0gaHR0cDovL3d3dy53b290aGVtZXMuY29tPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fYWRfdG9wPC9zdHJvbmc+IC0gZmFsc2U8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19hZF90b3BfYWRzZW5zZTwvc3Ryb25nPiAtIDwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2FkX3RvcF9pbWFnZTwvc3Ryb25nPiAtIGh0dHA6Ly93d3cud29vdGhlbWVzLmNvbS9hZHMvNDY4eDYwYS5qcGc8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19hZF90b3BfdXJsPC9zdHJvbmc+IC0gaHR0cDovL3d3dy53b290aGVtZXMuY29tPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fYWx0X3N0eWxlc2hlZXQ8L3N0cm9uZz4gLSBibGFjay5jc3M8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19hdXRvX2ltZzwvc3Ryb25nPiAtIHRydWU8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19ibG9nX2NhdDwvc3Ryb25nPiAtIDwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2Jsb2dfbmF2aWdhdGlvbjwvc3Ryb25nPiAtIGZhbHNlPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fYmxvZ19wZXJtYWxpbms8L3N0cm9uZz4gLSA8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19ibG9nX3N1Ym5hdmlnYXRpb248L3N0cm9uZz4gLSBmYWxzZTwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2J1dHRvbl9saW5rPC9zdHJvbmc+IC0gaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC8yMDEwLzA2L3dhbGxwYXBlcnMtZGEtYmxvdy11cC0yLzwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfMTwvc3Ryb25nPiAtIHRydWU8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19jYXRfYm94XzE3PC9zdHJvbmc+IC0gZmFsc2U8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19jYXRfYm94XzE3X2ltYWdlPC9zdHJvbmc+IC0gaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzI4LWNvbXAuanBnPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8xODE8L3N0cm9uZz4gLSBmYWxzZTwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfMTgxX2ltYWdlPC9zdHJvbmc+IC0gaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzM1LTIyLXVwZ3JhZGVfb2suanBnPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8xODI8L3N0cm9uZz4gLSBmYWxzZTwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfMTgyX2ltYWdlPC9zdHJvbmc+IC0gPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8xX2ltYWdlPC9zdHJvbmc+IC0gPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8yMjwvc3Ryb25nPiAtIGZhbHNlPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8yMl9pbWFnZTwvc3Ryb25nPiAtIDwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfMjk8L3N0cm9uZz4gLSBmYWxzZTwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfMjlfaW1hZ2U8L3N0cm9uZz4gLSBodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvdXBsb2Fkcy8yMDEwLzA2LzE1LWNvbnRvMDMuanBnPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8zPC9zdHJvbmc+IC0gdHJ1ZTwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfMzA8L3N0cm9uZz4gLSBmYWxzZTwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfMzBfaW1hZ2U8L3N0cm9uZz4gLSBodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvNDEtZGVkb19uYV9saW5ndWEuanBnPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8zMTwvc3Ryb25nPiAtIGZhbHNlPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8zMV9pbWFnZTwvc3Ryb25nPiAtIGh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8zOS1lbnRyZXQuanBnPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8zODI8L3N0cm9uZz4gLSB0cnVlPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8zODJfaW1hZ2U8L3N0cm9uZz4gLSBodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvdXBsb2Fkcy8yMDEwLzA2L2JpYTEuanBnPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF8zX2ltYWdlPC9zdHJvbmc+IC0gPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF80PC9zdHJvbmc+IC0gdHJ1ZTwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfNF9pbWFnZTwvc3Ryb25nPiAtIDwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfNTwvc3Ryb25nPiAtIHRydWU8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19jYXRfYm94XzVfaW1hZ2U8L3N0cm9uZz4gLSA8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19jYXRfYm94XzY8L3N0cm9uZz4gLSB0cnVlPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF82ODwvc3Ryb25nPiAtIGZhbHNlPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF82OF9pbWFnZTwvc3Ryb25nPiAtIGh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy80MC1mdXRlYm9sLTUyNzRfY29weS5qcGc8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19jYXRfYm94XzZfaW1hZ2U8L3N0cm9uZz4gLSBodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvNi10YXRpX2Rlc3RhcXVlLmpwZzwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfNzwvc3Ryb25nPiAtIGZhbHNlPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY2F0X2JveF83X2ltYWdlPC9zdHJvbmc+IC0gaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzctYW1hbmRhX3NhYmF0aW5pLmpwZzwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfODc8L3N0cm9uZz4gLSBmYWxzZTwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2NhdF9ib3hfODdfaW1hZ2U8L3N0cm9uZz4gLSBodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvMzgtc3VwZXJtYXF1aW5hcy5qcGc8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19jdXN0b21fY3NzPC9zdHJvbmc+IC0gPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fY3VzdG9tX2Zhdmljb248L3N0cm9uZz4gLSBodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvMy1mYXZpY29uLmljbzwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2ZlYXR1cmVkX3Bvc3RzPC9zdHJvbmc+IC0gNjwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX2ZlZWRidXJuZXJfdXJsPC9zdHJvbmc+IC0gPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fZ29vZ2xlX2FuYWx5dGljczwvc3Ryb25nPiAtIDxzY3JpcHQgdHlwZT1cInRleHQvamF2YXNjcmlwdFwiPg0KdmFyIGdhSnNIb3N0ID0gKChcImh0dHBzOlwiID09IGRvY3VtZW50LmxvY2F0aW9uLnByb3RvY29sKSA/IFwiaHR0cHM6Ly9zc2wuXCIgOiBcImh0dHA6Ly93d3cuXCIpOw0KZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoXCIlM0NzY3JpcHQgc3JjPVwnXCIgKyBnYUpzSG9zdCArIFwiZ29vZ2xlLWFuYWx5dGljcy5jb20vZ2EuanNcJyB0eXBlPVwndGV4dC9qYXZhc2NyaXB0XCclM0UlM0Mvc2NyaXB0JTNFXCIpKTsNCjwvc2NyaXB0Pg0KPHNjcmlwdCB0eXBlPVwidGV4dC9qYXZhc2NyaXB0XCI+DQp0cnkgew0KdmFyIHBhZ2VUcmFja2VyID0gX2dhdC5fZ2V0VHJhY2tlcihcIlVBLTE4NjYzMDMtMjRcIik7DQpwYWdlVHJhY2tlci5fdHJhY2tQYWdldmlldygpOw0KfSBjYXRjaChlcnIpIHt9PC9zY3JpcHQ+PC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fbG9nbzwvc3Ryb25nPiAtIGh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy80LWJsb3d1cC5wbmc8L2xpPjxsaT48c3Ryb25nPndvb19tYW51YWw8L3N0cm9uZz4gLSBodHRwOi8vd3d3Lndvb3RoZW1lcy5jb20vc3VwcG9ydC90aGVtZS1kb2N1bWVudGF0aW9uL2FwZXJ0dXJlLzwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX25hdl9leGNsdWRlPC9zdHJvbmc+IC0gPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fcmVzaXplPC9zdHJvbmc+IC0gdHJ1ZTwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX3Njcm9sbGVyX3Bvc3RzPC9zdHJvbmc+IC0gNjwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX3Nob3J0bmFtZTwvc3Ryb25nPiAtIHdvbzwvbGk+PGxpPjxzdHJvbmc+d29vX3RoZW1lbmFtZTwvc3Ryb25nPiAtIEFwZXJ0dXJlPC9saT48bGk+PHN0cm9uZz53b29fdXBsb2Fkczwvc3Ryb25nPiAtIGE6NDA6e2k6MDtzOjc5OiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvNDEtZGVkb19uYV9saW5ndWEuanBnIjtpOjE7czo4MjoiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzQwLWZ1dGVib2wtNTI3NF9jb3B5LmpwZyI7aToyO3M6NzE6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8zOS1lbnRyZXQuanBnIjtpOjM7czo3ODoiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzM4LXN1cGVybWFxdWluYXMuanBnIjtpOjQ7czo3NDoiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzM3LWNhcm9scGFlcy5qcGciO2k6NTtzOjcxOiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvMzYtc2ltb25lLmpwZyI7aTo2O3M6Nzg6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8zNS0yMi11cGdyYWRlX29rLmpwZyI7aTo3O3M6Njk6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8zNC1wYWVzLmpwZyI7aTo4O3M6Nzk6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8zMy1lbnRyZXRlbmltZW50by5qcGciO2k6OTtzOjY3OiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvMzItZjEuanBnIjtpOjEwO3M6Njc6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8zMi11cC5qcGciO2k6MTE7czo3NjoiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzMxLWVudHJldmlzdGFzLmpwZyI7aToxMjtzOjY5OiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvMzAtcGFwby5qcGciO2k6MTM7czo3MDoiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzI5LWNvbnRvLmpwZyI7aToxNDtzOjY5OiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvMjgtY29tcC5qcGciO2k6MTU7czo2OToiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzI3LXRhdGkuanBnIjtpOjE2O3M6Njc6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8yNi02OS5qcGciO2k6MTc7czo3MToiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzI1LWVudHJldC5qcGciO2k6MTg7czo4MzoiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzI0LWNvbXBvcnRhbWVudG9fdG9wby5qcGciO2k6MTk7czo4MDoiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzIzLWVyb3RpY19mYWlyXzEyMC5qcGciO2k6MjA7czo3NToiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzIyLXVwZ3JhZGVfb2suanBnIjtpOjIxO3M6NzQ6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8yMS1wYXBvX3NleG8uanBnIjtpOjIyO3M6Nzk6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8yMC1lbnRyZXZpc3Rhc19vay5qcGciO2k6MjM7czo3MDoiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzE5LTY5X29rLmpwZyI7aToyNDtzOjcwOiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvMTgtNjlfb2suanBnIjtpOjI1O3M6NzQ6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8xNy1wYXBvX3NleG8uanBnIjtpOjI2O3M6NzQ6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8xNi1wYXBvX3NleG8uanBnIjtpOjI3O3M6NzI6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8xNS1jb250bzAzLmpwZyI7aToyODtzOjY3OiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvMTQtNjkuanBnIjtpOjI5O3M6NzE6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8xMy1jb250b3MuanBnIjtpOjMwO3M6NzY6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8xMi1zZXh5X2xpcHNfMS5qcGciO2k6MzE7czo3ODoiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzExLXRhdGlfZGVzdGFxdWUuanBnIjtpOjMyO3M6Njk6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy8xMC10bnQxLmpwZyI7aTozMztzOjgwOiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvOS13X2hfYm9hdHNob3dfMDAyLmpwZyI7aTozNDtzOjcxOiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvOC12YW5lc3NhLmpwZyI7aTozNTtzOjc5OiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvNy1hbWFuZGFfc2FiYXRpbmkuanBnIjtpOjM2O3M6Nzc6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy82LXRhdGlfZGVzdGFxdWUuanBnIjtpOjM3O3M6NzY6Imh0dHA6Ly9yZXZpc3RhYmxvd3VwLmNvbS5ici9wb3J0YWwvd3AtY29udGVudC93b29fdXBsb2Fkcy81LWJhbm5lcjQ2OHg2MC5qcGciO2k6Mzg7czo3MDoiaHR0cDovL3JldmlzdGFibG93dXAuY29tLmJyL3BvcnRhbC93cC1jb250ZW50L3dvb191cGxvYWRzLzQtYmxvd3VwLnBuZyI7aTozOTtzOjcxOiJodHRwOi8vcmV2aXN0YWJsb3d1cC5jb20uYnIvcG9ydGFsL3dwLWNvbnRlbnQvd29vX3VwbG9hZHMvMy1mYXZpY29uLmljbyI7fTwvbGk+PC91bD4=